• Democratizando o Desenvolvimento de Software

    MVA AppStudio

    Sou da época que desenvolver softwares era uma ciência mágica. Tudo bem, não sou tão velho assim ;-) mas ter acesso a um computador, estudar uma linguagem de programação, criar seu primeiro programa, gostar daquilo e transformar isso em sua profissão, era mágico. Ah, tudo isso sem Googles ou Bings da vida ;) Era ler livro, estudar, trocar experiências com outros.

    Mas, saudosismos de lado, o mundo mudou. E um fenômeno que acontece é o interesse pelo desenvolvimento de software. As pessoas não falam “programas” mais. Falam “aplicativos“. Virou um hobby. Crianças, adultos que não são da área de Tecnologia se aventuram a desenvolver seus aplicativos. As motivações podem ser variadas. Aprendizado, desenvolver pensamento lógico ou ficar milionário (olha o que aconteceu com o Candy Crush).

    Há algum tempo atrás criamos um evento aqui no Brasil chamado “App Day”.  O objetivo era criar o seu primeiro aplicativo e publicá-lo na Windows Store, em um dia todo de treinamento online. No final do dia, o fator de sucesso era você ter tido essa primeira experiência. Público alvo: claro, desenvolvedores de software, com ou sem experiência com desenvolvimento de apps.

    Sabem o que aconteceu? Um outro tipo de público apareceu. Médicos, entusiastas, hobbystas, estudantes sem experiência de programação. Todos queriam desenvolver seu primeiro aplicativo. E confesso que foi tenso ensiná-los a abrir o Visual Studio e criar uma conta na Windows Store J

    Pensando nesse cenário, nós criamos uma ferramenta chamada AppStudio. De modo simples, podemos chamá-lo como um gerador de Apps, ou como eu gosto, do “Microsoft Access”  de Apps J. O AppStudio é uma ferramenta Web, que não exige conhecimentos em desenvolvimento. Através de templates e assistentes, você pode gerar um aplicativo e publicá-lo na Windows e Phone Stores. O melhor. Ele disponibiliza o código fonte. Assim, os mais curiosos podem apronfudar seus estudos e evoluir o aplicativo.

    O AppStudio tem uma metodologia de quatro etapas:

    1. Tenha uma ideia para seu aplicativo (o que ele será, o que vai fazer, qual problema vai resolver)
    2. Adicione conteúdo (vídeos, texto, fotos, links, etc)
    3. Escolha o estilo e formato (se o aplicativo será para Windows Phone, Tablets, etc)
    4. Publique e use!

    Milhares de Apps já foram criadas com essa ferramenta. O Brasil é um dos líderes em seu uso. Portanto, porque não testar você também? Outro dia falei com uma pessoa de Infraestrutura que disse que criou seu primeiro aplicativo J

    Para ajudá-lo nessa tarefa, dois Technical Evangelists criaram um vídeo explicando passo a passo como usar o AppStudio. Recomendo fortemente a todos os interessados que assistam o vídeo criado pelo Marlon e o Awdren: http://www.microsoftvirtualacademy.com/training-courses/crie-seu-primeiro-aplicativo-com-windows-app-studio?m=11221

    E se você tomar gosto pela coisa J, recomendo instalar o Visual Studio e dar uma olhada no código fonte….. tenho certeza que você vai se amarrar J

     

    []’s

     

     

  • Inovação na Prática: Quando devices e serviços se unem para uma boa experiência

    Nas últimas vezes que recebi convites para palestrar ou debater sobre Inovação, tenho iniciado com um video que do meu ponto de vista exemplifica muito bem a mudança tecnológica que estamos sofrendo. Vou fazer o mesmo neste post. Convido todos a assistirem aqui.

    Inovação sem um objetivo muitas vezes é uma boa ideia, uma invenção, que pode até resolver problemas importantes. Mas algumas vezes, mais é necessário. Inovação sob demanda? Também pode!

    Esse video acima é uma parceria da Microsoft com a Coca Cola. Colocamos essa “vending machine” em um grande shopping center da Coreia do Sul. Habilitado pela tecnologia Kinect , a máquina (ou device) interage em tempo real com os usuários, fornecendo uma experiência ímpar. O serviço em questão é um aplicativo (ou app) que faz toda essa amarração e pode até interagir com outros serviços, como postar uma foto em alguma rede social ou assim por diante.

    Isso mostra como será o future (e já o presente!) na relação homem-máquina. Os desenvolvedores de software deverão ser cada vez mais criativos. Ninguém provavelmente fez uma reunião de projeto e disse “Quero uma vending machine com Kinect que interaja com os usuários e use serviços de nuvem”. As ideias precisam fluir naturalmente e é esse tipo de competência que fará a diferença.

    E você? Quando vai criar sua próxima inovação ? ;-)

     

    []’s

     

     

     

  • O que Esperar do evento Microsoft Build

    build

    Semana que vem, dia 26 de Junho, começa a conferência Microsoft Build. Para os mais saudosos e os que gostam de história, o Build nasceu da união de duas outras conferências: o PDC , famoso evento entre os Developers, por basicamente ser liderado pelo time de Engenharia da Microsoft (ou seja, quem realmente faz nossos produtos) e o Mix , evento voltado mais para os cenários de Designer e desenvolvimento Web. Desde 2011, a Microsoft decidiu unificar os dois eventos e usar a marca Build.

    O evento já se tornou mandatório no calendário dos profissionais que trabalham com nossa plataforma. Esse ano, as expectativas não são diferentes. Como já anunciado, será apresentado um preview do Windows 8.1 e mais informações sobre o Windows Embedded. O que isto significa para o desenvolvedor? Minha humilde opinião:

    • Cada vez mais, a convergência das plataformas será realidade (Smartphones, Tablets, ATMs, POSs, etc) – isto vai requerer dos desenvolvedores um pensamento holístico no momento de criar a arquitetura de uma aplicação
    • As novas features do Windows 8.1 (algumas já apresentadas na conferência COMPUTEX ) refinarão ainda mais a experiência do usuário. Mas, se o desenvolvedor não aplicar tais features em seus aplicativos, o impacto não será o mesmo.
    • Cada vez mais, os devices dependerão da Nuvem (services). Uma boa solução obrigatoriamente precisa do device correto e um bom e robusto serviço de nuvem;
    • A experiência integrada, independente do device, será o grande diferencial. Há algum tempo atrás, começamos a disseminar o conceito de 3 telas (smartphone, tablet/desktop, TV) e boas soluções começaram a surgir, como por exemplo, o Netflix.

    Mas e o desenvolvedor mais tradicional, que talvez ainda não investiu (e talvez não investirá) em aplicativos modernos? Bem, não há dúvidas da importância desse profissional. A Microsoft no último ano colocou um foco forte no desenvolvimento de Aplicativos Modernos, até porque saímos do zero e a curva de aprendizado muitas vezes exige conhecimentos diferentes do desenvolvedor mais tradicional. Mas isso não significa que ele não é importante! Pelo contrário! Inclusive, já foi anunciado que no Build apresentaremos mais detalhes do Visual Studio 2013 e TFS 2013 , que possuirão características e melhoramentos tendo como objetivo principal aumentar a produtividade desse perfil de profissional. Um dos cenários que  me chama muito a atenção, é o de DevOps, onde profissionais de Desenvolvimento e Infraestrutura se unem para provisionar uma infraestrutura mais inteligente (recomendo o treinamento MVA sobre esse tópico)

    Do nosso lado aqui, o Evangelista Caio Garcez (@Caio_garcez ) estará pessoalmente em São Francisco acompanhando e compartilhando notícias do evento! Para os menos afortunados ;-), poderemos acompanhar muita coisa online no site oficial http://www.buildwindows.com/ !

    Pensando nesse primeiro post mais técnico, vou adotar a prática de ao final de cada post, fazer uma reflexão/resumo baseado no conceito de Zoom In / Zoom Out:

     

    Zoom In

    O Build já se tornou “a conferência” para os desenvolvedores da plataforma Microsoft. Não dá para não reservar um tempo para assistir os keynotes e eventuais palestras selecionadas que serão transmitidas online. Por isso, reserve um tempo em sua agenda – é uma maneira de atualização tecnológica. Como preparativo para o evento, recomendo dar uma olhada nos últimos materiais que criamos aqui no Brasil, com foco em Desenvolvimento para Windows 8: www.microsoft.com/brasil/apps

    Zoom Out

    O desenvolvedor é o mágico do mundo de TI. Sem ele, todas as inovações e produtos não fazem sentido. Ele precisa criar e dar vida a isso. Cada vez mais, as soluções ficarão mais complexas, integradas e ao mesmo tempo, com impacto maiores. Entender essas grandes tendências (Cloud, Mobilidade, Social, Apps) é essencial para o Desenvolvedor do Futuro! Por isso, conferências como o Build, precisam fazer parte do nosso dia a dia!

     

    []’s e até a próxima

    Danilo Bordini (@dbordini)

Contact Me:

Name:

Email:

Verification Image

Enter number from above: